Os super-espantalhos

Bonecos de palha "espantam" o crime nas ruas da capital

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

 

 

Foto Dano, sob licença Creative Commons

Na Cidade da Guatemala, basta um golpe no vidro do carro para que o condutor saiba que, como dizem no Rio de Janeiro, "perdeu". No caso, o celular. Em 2011, 30 mil roubos de aparelhos foram reportados. Os bandidos não precisam dizer nada, e todos sabem onde os assaltos ocorrem: segundo um estudo da Câmara Empresarial da cidade, "na zona 10 opera um jovem gordo; na zona 09, três homens em motocicletas pretas; no Boulevard Liberación, assaltam sempre entre as 17h e 19h". 

Para combater os assaltos, o movimento Jovens contra a Violência decidiu fazer algo que chamasse a atenção. A ideia - que acabou sendo gestada em uma agência de publicidade - foi espalhar dez espantalhos vestidos com uniformes de polícia pela cidade, segurando cartazes com os dizeres "Atenção, aqui assaltam". 

Segundo o site Cosecha Roja, a princípio os guatemaltecos estranharam a ideia. Mas à medida em que a iniciativa fazia o giro das redes sociais e virava notícia em jornais e na TV, a reação mudava: os passantes abaixavam o vidro para tirar uma foto, pediam que os espantalhos fossem colocados perto das suas casas, e agradeciam a iniciativa. 

No início de fevereiro os bonecos foram recolhidos, e deixaram saudades na população. Muitos quiseram que eles voltassem - e os jovens que inventaram essa história se sentem divididos: ficam felizes por ter ajudado, mas tristes ao perceberem que as pessoas estão tão desesperadas que pensam que bonecos de palha podem ser a salvação.

O belo artigo pode ser lido na íntegra, em espanhol, no site Cosecha Roja. Veja também o vídeo sobre a volta dos bonecos às ruas da Cidade da Guatemala e uma entrevista com um dos ativistas do movimento Jovens contra a Violência.

 

Assine a revista Samuel. Apoie a imprensa independente.

 
Licença CreativeCommons: Atribuição CC BY

Outras Notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990