Alguns governantes não fazem tudo que podem pela Amazônia, diz Papa

Declaração chega em meio ao aumento das queimadas na floresta tropical, que apenas no Brasil já totaliza mais de 53 mil focos de incêndio em 2019, alta de 45% em relação ao ano anterior

O papa Francisco afirmou nesta terça-feira (10/09), durante um voo entre Antananarivo, capital de Madagascar, e Roma, na Itália, que nem todos os governantes fazem o suficiente para proteger a Amazônia.

A declaração chega em meio ao aumento das queimadas na floresta tropical, que apenas no Brasil já totaliza mais de 53 mil focos de incêndio em 2019, alta de 45% em relação ao ano anterior. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

"Os governantes estão fazendo de tudo pela Amazônia? Alguns mais, alguns menos", disse Francisco a jornalistas no avião papal. Em seguida, o líder da Igreja Católica ressaltou a necessidade de se defender a "ecologia", a "biodiversidade" e o "oxigênio".

O Papa também citou a África e afirmou que existe o "inconsciente coletivo" de que o continente deva ser "explorado". "Devemos libertar a humanidade desses inconscientes coletivos. O ponto mais forte dessa exploração, não apenas na África, mas em todo o mundo, é no ambiente natural: o desmatamento, a destruição da biodiversidade", salientou. 

Reprodução
Papa Francisco afirmou que nem todos os governantes fazem o suficiente para proteger a Amazônia

Em sua passagem por Madagascar, parte de uma viagem à África que também incluiu Moçambique e Maurício, Jorge Bergoglio já havia alertado que o "desmatamento excessivo em benefício de poucos compromete o futuro" do planeta - a ilha também sofre com queimadas em suas florestas.

Além disso, em um Angelus no Vaticano no fim de agosto, Francisco dissera estar "preocupado" com os incêndios na Amazônia.

(*) Com Ansa.

Comentários

Leia Também