Netanyahu afirma que Irã e Hezbollah trabalharam juntos em atentado contra israelenses

Ônibus com grupo de turistas de Israel explodiu na Bulgária deixando 7 mortos e mais de 30 feridos

Redação

 

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, responsabilizou nesta quinta-feira (19/07) a milícia xiita libanesa Hezbollah de estar por trás do ataque terrorista ocorrido na última quarta-feira (18/07) na cidade de Burgas, no leste da Bulgária, que provocou a morte de sete cidadãos israelenses e deixou mais de 30 feridos.

A afirmação do político foi feita em entrevista coletiva na qual acusou a milícia fundamentalista de ser "o mais longo braço de atuação do Irã". Para Netanhayu este é o momento de todas as nações do mundo conhecerem "a verdade", que para ele é a de que o "Irã está por trás da onda de terrorismo, é o exportador de terrorismo número um".

Burgas é a segunda cidade mais importante no litoral búlgaro do Mar Negro e nos últimos anos se transformou em um destino de férias muito popular entre os israelenses. No começo do ano, a imprensa local revelou que as autoridades de Israel haviam advertido as autoridades de Sófia sobre possíveis ataques a turistas no país.

 

Ainda na quarta-feira, Netanyahu afirmou que "todas as pistas levam ao Irã como responsável pelo atentado". Em um comunicado oficial, o primeiro-ministro israelense destacou que seu país "reagirá com determinação".

Comentários