Obama adia reforma migratória para depois de eleições legislativas de novembro

Pauta foi reacendida em junho deste ano, quando congressista democrata divulgou imagens de crianças centro-americanas presas em “gaiolas”

Redação

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai esperar o fim eleições parlamentares previstas para novembro para tomar medidas sobre a reforma da imigração, anunciou neste sábado (06/09) um funcionário da Casa Branca às agências de notícia.

Divulgação/ Twitter

Manifestação realizada em junho diante da embaixada de Honduras pede que governo se responsabilize por imigrantes

"Devido à extrema politização deste assunto, o presidente acredita que seria prejudicial para a própria medida e as perspectivas a longo prazo de uma reforma migratória integral anunciar uma ação executiva antes das eleições", afirmou o funcionário, segundo a Efe. "O presidente confia em sua autoridade para atuar, e fará isso antes do fim do ano", acrescentou.

O anúncio foi feito um dia depois de Obama dizer a repórteres que iria tomar medidas "muito em breve" sobre a reforma imigratória.

Divulgação/ Twitter
O presidente cede deste modo às pressões dos legisladores democratas, que pediram que ele atrasasse qualquer medida sobre imigração para depois das eleições legislativas, quando serão renovados um terço do Senado e a Câmara dos Representantes.

[Jovens detidos em situação precária na fronteira dos EUA com o México]

O tema voltou à pauta no começo de junho deste ano, quando o congressista democrata, Henry Cuellar, divulgou imagens de crianças mexicanas e centro-americanas presas em “gaiolas”, chamadas de refúgios temporários pelas autoridades norte-americanas, em um centro de detenção no Texas.

Durante a campanha para segundo mandato, Obama destacou a reforma migratória como uma de suas principais bandeiras eleitorais para solucionar a situação dos aproximadamente 11 milhões de imigrantes sem documentação nos Estados Unidos.

Comentários