'Governo ilegítimo precisa de mecanismos ilegítimos para se manter', diz Dilma sobre Temer

Em entrevista para jornalistas estrangeiros, presidente afastada também lamentou falta de negros e mulheres em ministérios e defendeu reforma política

Redação

Em entrevista a jornalistas estrangeiros nesta sexta-feira (13/05), a presidente afastada do Brasil, Dilma Rousseff, comentou o governo "ilegítimo" do presidente interino, Michel Temer, que precisaria de "mecanismos ilegítimos para se manter no poder” e, por isso, teme que ele recorra a métodos violentos para conter manifestações.

“Não sei se não existe risco de reações violentas [a protestos]. Um governo ilegítimo sempre precisa de mecanismos ilegítimos para se manter no poder”, disse Dilma, ressaltando que nunca reprimiu manifestações contrárias a seu governo.

Agência Efe

Dilma conversou com jornalistas estrangeiros nesta tarde

A chefe de Estado também lamentou a inexistência de mulheres e negros à frente dos ministérios de Temer. “O negro e a mulher são fundamentais se você quer um país inclusivo desde o ponto de vista social, mas também do ponto de vista cultural e dos direitos humanos”, defendeu.

Sobre o cenário econômico, a presidente disse ser “um governo bastante liberal na economia e extremamente conservador na área cultural e social”.

Para ela, a solução para a crise política no Brasil seria uma reforma econômica, proposta já defendida pela mandatária em outras ocasiões.

“Poucos partidos têm uma unidade nacional em que um líder fala por todos. O Brasil tem fragmentação política, precisa de uma profunda reforma política”, explicou.

Enquanto Dilma aguarda a investigação do Senado que determinará se ela será impedida de fato, ela afirmou que irá a todos os eventos que for convidada para responder sobre as razões de seu afastamento.

“Teremos que nos defender também politicamente, porque este é um juízo jurídico e político”, argumentou.

Comentários

Leia Também