União Europeia pede que países se preparem para Brexit sem acordo

Segundo o poder Executivo da UE, os 27 Estados-membros remanescentes ainda não estão "suficientemente prontos" para o Brexit

Redação

0

Todos os posts do autor

A União Europeia alertou nesta quinta-feira (19/07) para seus Estados-membros se prepararem para todos os cenários relativos à saída do Reino Unido, incluindo o de não se chegar a um acordo até 29 de março de 2019, data prevista para o Brexit.

O aviso chega 10 dias depois de o governo da primeira-ministra Theresa May ter sofrido duas baixas: o negociador-chefe David Davis e o secretário de Relações Exteriores Boris Johnson. "A Europa trabalhará duramente para ter um acordo, mas não há certeza se isso será alcançado", disse um porta-voz da Comissão Europeia.

Segundo o poder Executivo da UE, os 27 Estados-membros remanescentes ainda não estão "suficientemente prontos" para o Brexit. "Devemos nos preparar a todas as eventualidades, para assegurar que as instituições da UE, os Estados-membros e os privados estejam prontos", diz a Comissão.

O Brexit está marcado para ocorrer em 29 de março de 2019, e as duas partes tentam chegar a um acordo definitivo até outubro. Já há consenso sobre os direitos de cidadãos europeus no Reino Unido e vice-versa e sobre a conta a ser paga por Londres, mas falta definir a futura relação política e comercial entre as partes e a questão da fronteira entre as Irlandas.

Reprodução
Governo de Theresa May sofreu duas baixas e abriu crise nas negociações para Brexit (Jay Allen/Number 10)

O governo May apresentou um plano para criar uma zona de livre comércio com a UE, para bens industriais e agrícolas e baseada em "regras comuns", mas o projeto irritou a ala do Partido Conservador que defende um Brexit mais "duro". Esse grupo é encabeçado por Johnson.

Por conta disso, há dúvidas se a primeira-ministra conseguirá manter seu governo de pé até o "divórcio" entre Londres e Bruxelas. Se houver acordo, o Brexit entrará em vigor em 29 de março de 2019, mas com um período de transição até 31 de dezembro de 2020.

Por outro lado, se não houver, a ruptura será total e imediata a partir do próximo dia 30 de março. "Faltam 13 semanas para o Conselho Europeu de outubro e, neste breve período, devemos fazer duas coisas: finalizar o acordo e preparar a declaração política sobre nossas relações futuras", afirmou o negociador-chefe da União Europeia, Michel Barnier, que se reuniu nesta quinta com o sucessor de David Davis, Dominic Raab, pela primeira vez.

Comentários