Governadores do Nordeste repudiam fala de Bolsonaro

Gestores divulgam carta criticando comentário de presidente, que chama povo nordestino de "paraíba" e ataca o governador do Maranhão; conversa informal foi captada em vídeo e viralizou nas redes sociais

Redação

Deutsche Welle Deutsche Welle

Bonn (Alemanha)

Os nove governadores do Nordeste divulgaram na noite desta sexta-feira (19/07) uma carta repudiando uma fala do presidente Jair Bolsonaro indicando intenção de retaliar o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). A afirmação foi captada em vídeo pela TV Brasil e viralizou nas redes sociais.

O registro foi feito na manhã de sexta-feira, pouco antes do início de um café da manhã com jornalistas da imprensa estrangeira no Palácio do Planalto, em Brasília. Enquanto os convidados se sentavam à mesa, Bolsonaro, sem perceber que seu microfone estava ligado, diz ao ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: "Daqueles governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão. Tem que ter nada com (ou para) esse cara".

Naquele mesmo evento, Bolsonaro fez outras declarações controversas, dizendo que "falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira” e usou informações falsas sobre a jornalista Míriam Leitão, ao comentar o fato de ela ter sido impedida de participar de uma feira do livro em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, devido a ameaças e ataques lançados por militantes bolsonaristas nas redes sociais.

Flávio Dino postou o vídeo contendo o comentário vazado e criticou o presidente da República, afirmando que ele não pode "determinar perseguição" contra um estado federal e ressaltando que Bolsonaro "parece chamar todos os nordestinos de 'paraíba'". Dino acrescentou, ainda, no Twitter: "Lamento e espero explicações, pois isso é realmente inédito e incompatível com a Constituição".

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), divulgou a íntegra da carta dos governadores nordestinos em sua conta no Twitter. "Nós governadores do #Nordeste recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais. Aguardamos esclarecimentos e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia”, diz o texto.

Presidencia da República/M. Corrêa
Onyx Lorenzoni e Bolsonaro em café da manhã com representantes da imprensa estrangeira

Os governadores afirmam, na carta, que sempre buscam "manter produtiva relação institucional com o governo federal” e frisam que "o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população”.

O documento é assinado, além de Flávio Dino e Rui Costa, por Renan Filho (MDB-AL), Camilo Santana (PT-CE), João Azevêdo (PSB-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Wellington Dias (PT-PI), Fátima Bezerra (PT-RN) e Belivaldo Chagas (PSD-SE).

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que não comentará a carta dos governadores.

Leia na íntegra a carta:

9 de julho de 2019

Nós governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população.

Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia.

MD/ots

Comentários

Leia Também