Procurador-geral da Bolívia contradiz promotoria e nega solicitação à Interpol para investigar Evo Morales

'Informamos que não foi solicitado uma notificação azul [contra Morales]. Documento que recebemos diretamente da Interpol confirma esse fato', disse Juan Lanchipa

O Procurador-geral da Bolívia, Juan Lanchipa, negou na noite desta quinta-feira (28/11) que o país tenha acionada uma notificação azul da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) contra o ex-presidente Evo Morales. 

Lanchipa descartou as declarações dadas ainda na quinta-feria pelo promotor de La Paz, Williams Alave, que afirmou ter emitido uma investigação internacional contra o ex-mandatário forçada a renunciar após o golpe de Estado de 10 de novembro. 

"Nós, de maneira formal, informamos que não foi solicitado uma notificação azul [contra Morales]. E o documento que recebemos diretamente da Interpol confirma esse fato", disse o promotor-geral.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


Segundo Lanchipa, a declaração dada pelo promotor de La Paz foi em relação à outra pessoa. De acordo com o jornal El Deber, o promotor-geral disse que "tem conhecimento da localização de Morales, fazendo com que essa solicitação seja desnecessária". 

Fiscalía General del Estado
Lanchipa descartou as declarações dadas pelo promotor de La Paz que afirmava ter sido emitida uma investigação internacional contra Morales

O ex-presidente já havia afirmado que qualquer denúncia de crime contra ele era inexistente. Morales, que está exilado no México, ainda disse que as investigações e denúncias que alegam terem sido cometidas por ele são uma questão de racismo.

A notificação azul da organização internacional delimita a investigação à "coleta de informações adicionais sobre a identidade, localização ou atividades de uma pessoas em relação a um crime".

Comentários