Bancos brasileiros lideram em rentabilidade no continente americano

Bancos brasileiros lideram em rentabilidade no continente americano

Natalia Viana

Enquanto bancos americanos e europeus ainda sofrem com a crise econômica, o mercado financeiro brasileiro tem apresentado um bom desempenho – em alguns casos, acima do esperado. É o que ficou claro com a divulgação do balanço do Banco do Brasil, que  teve crescimento em ativos na ordem de 43,9% nos últimos 12 meses. O resultado colocou a instituição e outros dois bancos nacionais – Bradesco e Itaú Unibanco - na liderança em rentabilidade na América Latina e nos Estados Unidos, no primeiro semestre deste ano.

Nos Estados Unidos e na Europa, as instituições estão subcapitalizadas e endividadas, e enfrentam ainda uma grande incerteza em relação aos devedores após o trauma do “credit crunch” – em que títulos de alto risco norte-americanos contaminaram o sistema em diversos países e acabaram por tornar-se “podres” pela falta de pagamento.

No caso do Banco do Brasil, que retomou a posição de maior banco do país, a melhora foi puxada pela postura agressiva na ampliação de crédito – que chegou a ser criticada recentemente como “insustentável” pelo presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setúbal. O aumento da receita com esse tipo de operação foi de 32,5% em relação a 2008.

“O Banco do Brasil ficou na liderança ao assumir o crédito. Isso, na verdade, melhora a situação de reserva dos bancos privados. Quando as linhas externas secaram, houve uma rápida contração do crédito aqui, e os bancos privados esperaram que o crédito dos bancos públicos se expandissem para irem atrás. E aí o crédito globalmente começou a se recuperar”, avalia o economista Luiz Gonzaga Beluzzo, da Unicamp.

Com o bom desempenho, as ações do Banco do Brasil valorizaram 51% no semestre e o valor de mercado atingiu 54,4 bilhões de reais. O lucro líquido foi de 4 bilhões de reais, um aumento de 0,6% sobre o mesmo período do ano passado.

Outros bancos brasileiros

O Bradesco teve lucro líquido de 4 bilhões de reais no primeiro semestre, um aumento de 2,8% em comparação ao período em 2008. No segundo trimestre, o lucro foi de 2,3 bilhões de reais, um aumento ainda maior: 14,7% sobre o ano anterior. O total de ativos aumentou em 19,7% no terceiro trimestre em relação a 2008, atingindo 482 bilhões de reais.

Já o banco Itaú teve redução na receita: no primeiro semestre, o lucro líquido foi de de 4,586 bilhões de reais, 17,8% a menos que em 2008, mas permaneceu sendo o maior em ativos consolidados entre os conglomerados financeiros privados da América Latina, com 596,4 bilhões de reais.

Resultados positivos

Os três maiores bancos do país – Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco, respectivamente – foram os líderes em rentabilidade na América Latina e nos Estados Unidos no primeiro semestre deste ano e, assim, mantiveram posição de destaque no continente americano, segundo pesquisa da consultoria Economática.

O Banco do Brasil consolidou sua posição de maior banco latino-americano e passou da 10ª para a 7ª posição no ranking da América Latina e dos Estados Unidos. O Itaú Unibanco caiu uma posição – de 7º para 8º – e o Bradesco subiu de 11º para o 10º lugar.

Leia mais:
Conservadorismo e experiência contribuíram para performance dos bancos brasileiros, dizem analistas

Comentários