Homem recebe conta de mais de R$ 500 mil por tratamento após ser picado por cobra nos EUA

Incidente que ocorreu na Califórnia reacende o debate acerca do sistema de saúde norte-americano e o monopólio da indústria farmacêutica no país

Redação

Nos últimos dias, a fotografia de um boleto de pagamento no valor de US$ 153 mil (R$ 502 mil) referente aos gastos hospitalares de um norte-americano que foi picado por uma cobra viralizou nas redes sociais, reacendendo o debate sobre o sistema de saúde dos Estados Unidos.

Imagem da conta viralizou no Twitter e Facebook pelo mundoDatado de 13 de julho, o boleto foi entregue a Todd Fassler, que foi mordido por uma cascavel na cidade de San Diego, Califórnia, no início do mês.

Segundo o CDC (Centro de Controle de Doenças e Prevenção dos EUA), estima-se que entre 7.000 e 8.000 pessoas sejam picadas por ano no país e ao menos cinco morrem.

No boleto, o serviço mais custoso é o produto farmacêutico. De acordo com Washington Post, há apenas um antiofídico disponível comercialmente no mercado norte-americano, o CroFab, que é monopolizado pela farmacêutica britânica BTG. 

Segundo o jornal norte-americano, a falta de competição no mercado é um dos principais motivos que explicam os altos preços desse tipo de tratamento na nação. 

Em maio de 2015, um homem morreu no Missouri em decorrência de uma picada de cobra, alegando que não conseguiria pagar a conta.

Flickr/CC

Cascavel é uma cobra peçonhenta; nos EUA, o número de mortes por picada ocorrem sobretudo pelo alto custo do tratamento

Comentários