Aula Pública: No Brasil, tentam demonizar regulamentação da mídia, diz Franklin Martins

Ex-ministro da Secom inaugura nova temporada da Aula Pública Opera Mundi criticando monopólio dos meios de comunicação

No primeiro episódio da segunda temporada da Aula Pública Opera Mundi, o ex-ministro da Secom (Secretaria de Comunicação Social), Franklin Martins, critica grupos econômicos que tentam frear a discussão sobre regulamentação dos meios de comunicação.

"No mundo inteiro, há regulamentação para evitar concentração e manipulação. No Brasil, porém, sempre que se tenta um projeto para debater a questão, os grupos de comunicação dizem que é censura e tentam demonizar o assunto. Isso é só uma tentativa de interditar um tema vital para o país: democratização da mídia", critica Franklin.

Clique aqui e inscreva-se no canal de Opera Mundi no Youtube

O programa Aula Pública é uma parceria de Opera Mundi e TV Unesp, que transmite o programa hoje (14) às 20h30 no canal 45 UHF / canal 46.1 HD de Bauru e também no portal www.tvu.unesp.br

Assista ao primeiro bloco do programa

Clique aqui e confira a programação dos próximos programas Aula Pública Opera Mundi

No segundo bloco, Franklin Martins fala sobre a "Lei de Meios" da Argentina em comparação com a legislação brasileira. "O Brasil precisa desesperadamente de regulação dos meios eletrônicos de comunicação. Mas nós não somos a Argentina e precisamos da nossa lei, com as nossas características", analisa.

Assista ao segundo bloco do programa:


O ex-ministro também defende que a regulamentação da mídia não fere a liberdade de imprensa. "Os grupos de comunicação confundem liberdade de imprensa com liberdade de empresa", afirma. 

Clique aqui e assista à primeira temporada da Aula Pública Opera Mundi

No terceiro bloco, Franklin Martins revela preocupação com a dificuldade de promover debate sobre regulamentação dos meios de comunicação. "Grupos econômicos satanizam e intimidam quem trabalha pela regulamentação".

Na Argentina, revistas independentes querem regras mais democráticas na distribuição

Jornais não circulam na França por greve de distribuidores

"Somos africanos e temos que entender isso", afirma ex-ministro de Lula

 

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas