Hoje na História: 1944 - Coronel Claus von Stauffenberg leva bomba a residência de Hitler

A conspiração foi relatada em filmes como “Operação Valquíria”, de 2008; na produção, Tom Cruise atua como protagonista no papel de Stauffenberg

Atualizada em 11/07/2018 às 10/20

*Max Altman (1937-2016), advogado e jornalista, foi titular da coluna Hoje na História da fundação do site, em 2008, até o final de 2014, tendo escrito a maior parte dos textos publicados na seção. Entre 2014 e 2016, escreveu séries especiais e manteve o blog Sueltos em Opera Mundi.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em 11 de julho de 1944, o coronel Claus von Stauffenberg, um alto oficial do Exército alemão, transportou uma bomba ao quartel-general e a residência de verão de Adolf Hitler em Berchtesgaden, nos Alpes Bávaros, com a intenção de assassinar o Führer.

Assim que o sentido da guerra começou a virar contra os germânicos e as atrocidades cometidas às instâncias de Hitler se espalhavam por toda parte, um crescente número de alemães, dentro e fora das forças armadas, passaram a conspirar pela eliminação de seu líder.

Wikicommons

Stauffenberg, em 1926, quando servia a cavalaria alemã; atentado mal-sucedido custou sua vida

Avaliando que seria bastante improvável que as massas se levantassem contra o homem em cujas mãos depositaram até então suas vidas e seu futuro, cabia aos homens próximos a Hitler, oficiais militares alemães, a tarefa de assassiná-lo. A liderança da conspiração coube a Claus von Stauffenberg, na época recém promovido a coronel e chefe da equipe do Estado-maior da reserva do Exército o que lhe permitia acesso aos quarteis-generais de Hitler nas montanhas da Bavária, em Berchtesgaden e no nordeste da Alemanha, em Rastenburg.

Coleção de objetos nazistas é encontrada em esconderijo na Argentina

Morre aos 89 anos Simone Veil, política francesa e ícone do feminismo europeu

1807: Assinada Paz de Tilsit, auge do reinado de Napoleão

 

Stauffenberg, que servia no Exército germânico desde 1926, manifestou contrariedade com o cruel tratamento dispensado aos judeus e aos prisioneiros soviéticos pelos seus soldados e camaradas de farda enquanto servia como oficial do Estado-maior na campanha contra a União Soviética. Depois disso, pediu para ser transferido para o norte da África, onde perdeu seu olho esquerdo, a mão direita e dois dedos de sua mão esquerda.

Depois de se recupear de seus ferimentos e estar determinado a ver Hitler removido de seu poder, Stauffenberg viajou a Berchtesgaden em 3 de julho, quando recebeu das mãos do oficial do exército Helmuth Stieff uma bomba com um detonador silencioso e suficientemente pequena para ser escondida numa pasta de couro.

Em 11 de julho, Stauffenberg foi convocado a Berchtesgaden para apresentar pessoalmente a Hitler um relatório sobre a situação militar do momento. O plano era usar a bomba em 15 de julho, mas no ultimo minuto, Hitler foi chamado para o seu quartel-general em Rastenburg. Stauffenberg então foi designado para acompanhá-lo.

A tentativa de assassinato foi adiada para 20 de julho em Rastenburg, no quartel-general, conhecido como a "Toca do Lobo (em alemão, "Wolfsschanze"). A conspiração e os detalhes da explosão das bombas foram relatadas em livros e no cinema, em especial, no filme “Operação Valquíria”, de 2008, protagonizado por Tom Cruise no papel do coronel Stauffenberg.

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Trump me disse para processar a UE', afirma May

Após presidente dos EUA declarar que primeira-ministra do Reino Unido ignorou conselho dele sobre o Brexit, líder britânica revela qual foi a sugestão do americano: não entrar em negociações com a União Europeia