Battisti lança livro no FST, mas diz que não se envolve mais em questões políticas

Lançamento do livro deve ocorrer na próxima quinta-feira (26)

Luana Lourenço/Agência Brasil

O ativista italiano Cesare Battisti, que protagonizou uma batalha diplomática entre Brasil e Itália até ser reconhecido como refugiado político, transita quase anônimo pelo FST (Fórum Social Temático), que começou nesta terça-feira (24/01) em Porto Alegre. Battisti veio ao megaevento dos movimentos sociais para lançar seu novo romance Ao Pé do Muro, e diz que não deve participar de outros debates durante o FST.

“Não vou participar de nenhuma manifestação, minha condição não me permite envolvimento na política nacional”, disse nesta terça (25) em rápida entrevista.

O livro, escrito durante a estada do italiano no Presídio da Papuda, em Brasília, é o 16º romance de Battisti e tem, segundo o autor, “verdades muito fortes”, apesar de ser uma obra de ficção. “Biografias é melhor que façam os outros”, brincou.

Battisti estava na plateia de um evento de abertura do FST, no Palácio Piratini, sede do governo gaúcho, mas negou que terá alguma audiência com o governador Tarso Genro, defensor de sua permanência no Brasil como refugiado político. “O governador tem assuntos muito mais importantes que o caso Battisti, que acabou”, desconversou.

Pela primeira vez em Porto Alegre, Battisti reclamou do calor da capital gaúcha no verão, disse que está morando no Rio de Janeiro e que está aliviado com o fim da polêmica que protagonizou nos últimos anos. “Sou muito feliz vivendo nesse país, com os brasileiros.” O lançamento do livro do italiano no FST está marcado para a próxima quinta-feira (26).

Comentários

Leia Também