Rússia e Turquia anunciam acordo de cessar-fogo na Síria

Medida terá início a partir da meia-noite desta sexta-feira (06/03) e será adotada tanto pelas forças turcas, quanto pelos militares sírios

Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciaram nesta quinta-feira (05/03) que os países chegaram a um acordo de cessar-fogo em Idlib, na Síria.

A medida terá início a partir da meia-noite desta sexta-feira (06/03) e será adotada tanto pelas forças turcas, quanto pelos militares sírios. "À 00:01 desta noite, o cessar-fodo será posto em prática", disse Erdogan. 

O mandatário turco afirmou que seu país se reserva no direito de responder aos ataques do exército sírio, declarando que os postos de observação funcionaram para "reduzir tensões e monitoramento do cessar-fogo" e não para "controlar" o campo. 


QUEREMOS CONHECER VOCÊ MELHOR, LEITOR E ESPECTADOR DE OPERA MUNDI. CLIQUE AQUI


"Estabelecemos postos de observação para reduzir as tensões em Idlib. Esses postos se comprometeram a apenas monitorar a implementação do regime de cessar-fogo, mas não controlar o campo", disse.

Kremlin
Erdogan e Putin se reuniram em Moscou para discutir um cessar-fogo na Síria

Putin, por sua vez, reafirmou que ambos "concordaram" sobre o cessar-fogo em um documento. O presidente da Rússia disse que espera que o papel "sirva como uma boa base para acabar com os combates na zona de descalcificação de Idlib e acabar com o sofrimento da população civil".

"Após os resultados de nossas negociações, concordamos com um documento conjunto (...) que apresenta as decisões que desenvolvemos em conjunto com o presidente da República da Turquia, Sr. Erdogan, durante a reunião de mais de seis horas", afirmou Putin.

Tensão

A tensão na zona desmilitarizada de Idlib aumentou no início de fevereiro devido à troca de ataques entre as forças armadas turca e síria.

A situação piorou após a Frente al-Nusra (grupo proibido na Rússia e em outros países) realizar, em 27 de fevereiro, ataques a Idlib e o Exército Sírio responder com um bombardeio aéreo causando dezenas de mortos e feridos nas tropas turcas.

A Turquia respondeu com uma operação de retaliação contra as tropas do governo sírio e disse ter "neutralizado" aproximadamente 300 soldados sírios.

*Com Sputnik

Comentários