Novo secretário-geral da ONU nomeia brasileira Maria Luiza Ribeiro Viotti como chefe de gabinete

Ex-embaixadora do Brasil em Berlim, Viotti foi nomeada por António Guterres, ex-premiê português; ele assumirá mais alto cargo da organização em 1º de janeiro

O futuro secretário-geral da ONU, António Guterres, nomeou nesta quinta-feira (15/12) Maria Luiza Ribeiro Viotti, ex-embaixadora brasileira em Berlim, como chefe de gabinete. Além da brasileira, integrarão a equipe de Guterres a nigeriana Amina J. Mohammed, indicada como vice-secretária-geral, e a sul-coreana Kyung-wha Kang, que assumirá o novo cargo de Assessora Especial em Política.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“Estas indicações são o alicerce do meu time, que continuarei a construir, respeitando meu compromisso de igualdade de gênero e diversidade geográfica”, afirmou Guterres, que disse ainda que as escolha foi feita baseada na “sólida experiência que as três possuem em assuntos globais, desenvolvimento, diplomacia, direitos humanos e ação humanitária”.

Atual subsecretária para Ásia e Pacífico do Ministério de Relações Exteriores do Brasil, Maria Luiza Ribeiro Viotti foi embaixadora em Berlim de 2013 a 2016 e membro da Representação Permanente do Brasil nas Nações Unidas (2007 a 2011), além de ter atuado como vice-presidente da comissão preparatória da Cúpula Mundial de Desenvolvimento Sustentável em Johanesburgo.

Paulo Filgueiras/ONU

Diplomata brasileira Maria Luiza Ribeiro Vioti foi indicada para ser chefe de gabinete do futuro secretário-geral da ONU

Trump nomeia governadora republicana Nikky Haley como embaixadora dos EUA na ONU

Cuba agradece solidariedade de mais de 140 países membros da ONU

António Guterres toma posse como novo secretário-geral da ONU

 

Já a futura vice-secretária-geral Amina J. Mohammed é ministra do meio ambiente da Nigéria e foi assessora especial do secretário-geral Ban Ki-moon no Planejamento de Desenvolvimento pós- 2015, fundamental para promover a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, incluindo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Terceira integrante do gabinete anunciado por Guterres nesta quinta-feira, a sul-coreana Kyung-wha Kang é chefe do time de transição do futuro secretário-geral. Ela trabalhou como assistente do secretário-geral para assuntos humanitários desde 2013 e foi vice-alto-comissária para Direitos Humanos entre 2007 e 2013. 

António Guterres, que tomou posse nesta segunda-feira (12/12), assume o cargo de secretário-geral da ONU no dia 1º de janeiro de 2017. Ele sucederá Ban Ki-moon, diplomata sul-coreano que lidera a organização desde 2007. 



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas