Coreia do Norte está disposta a dialogar com Estados Unidos, diz Seul

Deutsche Welle
General norte-coreano comunica disposição a presidente da Coreia do Sul, em reunião antes da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno; Ivanka Trump lidera comitiva dos EUA no evento

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A Coreia do Norte está disposta a dialogar com os Estados Unidos, disse neste domingo (25/02) o general Kim Yong-chol, um funcionário do alto escalão do regime norte-coreano ao presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, segundo a presidência sul-coreana.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Os comentários do representante de Pyongyang, responsável pelas relações intercoreanas, aconteceram durante uma reunião entre Moon e a delegação norte-coreana presente à cerimônia de encerramento dos Jogos de Inverno de Pyeongchang. A reunião aconteceu pouco antes da cerimônia.

No encontro de uma hora de duração, Moon insistiu sobre a necessidade de haver um diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte num futuro próximo, o que servirá também para melhorar as relações entre Pyongyang e Seul, detalhou o escritório presidencial.

Neste sentido, Seul afirmou que "a delegação norte-coreana também se mostrou de acordo quanto às relações entre a Coreia do Norte e os EUA terem que se desenvolver de maneira conjunta com a relação entre as duas Coreias" e apontou que Pyongyang "está muito disposta a manter um diálogo com os EUA".

Coreia do Norte vai enviar delegação de alto nível para encerramento de Olimpíadas de Inverno no Sul

Trump anuncia novas sanções contra Coreia do Norte e promete 'pressão máxima'

Para Coreia do Norte, sanções norte-americanas são 'ato de guerra'

 

Reprodução

Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in (de branco) ao lado de Ivanka Trump: jogos de inverno foram encerrados neste domingo

Durante o encerramento dos Jogos de Inverno na Coreia do Sul estavam presentes as comitivas enviadas por Pyongyang e Washington, lideradas, respectivamente, por Kim Yong-chol e por Ivanka Trump, filha e assessora do presidente Donald Trump.

Ambas as partes se mostraram inicialmente contrárias a um encontro durante o evento olímpico. A Coreia do Norte classificou as últimas sanções unilaterais dos Estados Unidos como um ato de guerra, conforme indica um comunicado da agência de notícias norte-coreana KCNA.

Na passada sexta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou as novas medidas para isolar a Coreia do Norte, definindo-as como as sanções mais pesadas já impostas ao país.

Os Jogos de Inverno serviram para uma histórica aproximação entre as duas Coreias e, neste cenário, Seul insistiu que também busca uma distensão entre Pyongyang e Washington.

AS/efe/lusa

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990