'Mulher, negra e favelada, Marielle Franco foi vítima da violência que denunciava', diz jornal francês Libération

rfi - português do brasil
Repercussão do assassinato da vereadora do PSOL prossegue forte na imprensa estrangeira; segundo L'Express, protestos mostram também forte revolta contra a violência policial e o governo Temer

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A imprensa europeia continua repercutindo nesta sexta-feira (16) o assassinato da vereadora do PSOL, Marielle Franco, e do motorista Anderson Pedro Gomes, no Rio de Janeiro.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Rio de Janeiro: uma vereadora de esquerda assassinada" é a manchete de uma matéria publicada pelo jornal Libération. "Mulher, negra e favelada. Vítima da violência que denunciava", escreve a correspondente do diário no Brasil, Chantal Rayes. 

Vereadora do Rio, incansável ativista dos direitos humanos, Marielle Franco, de 38 anos, foi morta com cinco tiros na cabeça, em pleno centro da Cidade Maravilhosa", diz Libération. Para o jornal, a militante encarnava a esperança de renovação da esquerda, em um momento no qual a corrupção reina no Brasil.

A grande questão é quem matou Marielle, reitera Libération, salientando que os investigadores privilegiam a tese de execução. Todas as circunstâncias levam a crer que o crime teve motivação política, ainda que a vereadora não tenha sido alvo de ameaças, publica o jornal. 

Reprodução

Liberátion: Marielle foi vítima da violência que denunciava

Não é só Marielle: conheça mais 24 casos de lideranças políticas mortas nos últimos quatro anos

Manifestações em memória de Marielle Franco são convocadas em várias capitais do mundo

Deputados europeus pedem suspensão de negociações UE-Mercosul por causa do assassinato de Marielle

 

Brasileiros indignados

O site da revista francesa L'Express fala da mobilização em várias cidades na quinta-feira (15/03) em memória de Marielle. "Milhares de brasileiros indignados dão adeus à vereadora negra assassinada", é o título de uma matéria online da semanal. L'Express lembra que Marielle encarnava a luta contra o racismo e a violência policial e que foi morta quando voltava de um debate sobre mulheres negras. 

L'Express escreve que os protestos contra a morte da vereadora mostram também uma forte revolta contra a violência policial e o governo de Michel Temer. O assassinato indignou personalidades, como o cantor Chico Buarque, que participou da manifestação no Rio, e chegou até a ONU. A representação das Nações Unidas no Brasil pediu em comunicado uma investigação rigorosa, classificando Marielle como "uma das principais vozes em defesa dos direitos humanos no país", destaca L'Express.

O jornal britânico The Guardian também ressalta em seu site os protestos em várias cidades brasileiras. No Rio de Janeiro, onde está baseado o correspondente do diário, Dom Phillips, a manifestação uniu militantes de esquerda, do movimento negro, feministas e moradores das regiões mais pobres da capital fluminense. 

The Guardian escreve que Marielle "mulher negra e lésbica, que desafiou a bizarra política carioca ao ser a quinta candidata mais votada nas últimas eleições, era uma especialista em violência policial, e havia recentemente denunciado as agressões dos militares aos moradores das favelas. Integrante de um partido de esquerda, Marielle Franco também era conhecida por seu trabalho social. Esse era seu primeiro mandato", publica.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Os supersalários das Forças Armadas

Nossa reportagem levantou todos os salários de militares e encontrou centenas acima do teto, indenizações de mais de R$ 100 mil e valores milionários pagos no exterior