Aula Pública Opera Mundi: O que a criança indígena deve aprender na escola?

Professora Aryane Silva, pesquisadora do tema na Unicamp, discute a implementação de um currículo escolar que respeite a cultura indígena

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Opera Mundi TV

Aryane Silva discute a implementação de um currículo escolar que respeite a cultura indígena


Com a rigidez dos currículos escolares, é difícil encontrar escolas que trabalhem com a diversidade dos estudantes indígenas. Questões éticas, linguísticas e princípios familiares são tensionados diariamente nas salas de aula. Aryane Silva, professora e mestranda em linguística pela Unicamp (Universidade de Campinas), responde: O que a criança indígena deve aprender na escola?


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo a professora, um passo importante é o de “entender que as etnias têm suas especificidades. São muitas etnias no Brasil e cada povo indígena vai ter sua cultura. Então não tem como dizer que a escola indígena vai encontrar um caminho modelo e vai seguir. Cada povo vai olhar para sua cultura e vai achar relevante ter ou não uma questão dela dentro da escola."

Veja o primeiro bloco, onde Aryane Silva discute a implementação da cultura indígena dentro do currículo escolar

Aula Pública Opera Mundi: A escola respeita a cultura afro-brasileira?

China vai ensinar alemão, espanhol e francês nas escolas secundárias do país

Aula Pública Opera Mundi: Qual o futuro da relação bilateral entre Brasil e China?

 

No segundo bloco, a professora responde perguntas dos correspondentes de Opera Mundi

Em um primeiro momento, "era interessante para o governo que os povos indígenas fossem integrados às sociedades para que eles pudessem explorar os territórios e os recursos naturais”, ao mesmo tempo em que "a religião tinha o interesse da catequização", afirma. Esta tentativa encontrou barreiras, uma vez que a diferença de idiomas dificultava a tarefa de alfabetizar esses povos. Em um segundo momento, traçado a partir da Constituição de 1988, “instituições não governamentais e o governo passam a ter essa preocupação com a educação”, afirma.

Mas como essa educação vai acontecer dentro da aldeia? Segundo Aryane, existem dois pontos de vista para a formulação do currículo dentro de comunidades indígenas. Há “comunidades que vão falar: nós queremos a escola aqui dentro e queremos nossa cultura dentro dela”. De outro lado, existe uma categoria que crê “que a escola é uma instituição do não índio”. Segundo ela, essas comunidades preferem a perspectiva de usar a escola “como uma ferramenta” para aprender os conhecimentos dos não índios.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Não podemos mais confiar na Casa Branca'

Ministro do Exterior da Alemanha reage às declarações de Trump, que descreveu a UE como um 'inimigo' dos EUA no comércio. Heiko Maas convoca uma Europa 'unida e soberana' para preservar a parceria com Washington