Eurodeputada portuguesa chama Macron de 'pequeno Napoleão' por causa de ataque à Síria; veja vídeo

Marisa Matias, que também é líder do Bloco de Esquerda em Portugal, disse que presidente francês tem 'concepção napoleônica' de democracia e disse que ele deveria parar de vender armas se quisesse resolver conflito no Oriente Médio

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A eurodeputada portuguesa Marisa Matias, que também é líder do Bloco de Esquerda em Portugal, chamou o presidente da França, Emmanuel Macron, de “pequeno Napoleão” durante debate sobre a situação da Síria nesta terça-feira (17/04). Segundo ela, não houve debate democrático antes de Paris participar do ataque ao país.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“O senhor apresentou-se aqui como presidente da França, mas, na verdade, parece pensar que é um pequeno Napoleão. Veio fazer uma declaração de amor à democracia, disse mesmo que a democracia não é uma palavra oca. E eu pergunto-lhe: que democracia? A democracia que se viu executar a menos de uma semana, quando, unilateralmente, com Trump e May, avançou para um ataque sobre a Síria sem consultar rigorosamente ninguém? A sua concepção de democracia não tem cidadãos, não tem parlamentos, não ouviu sequer a Assembleia francesa. Ridicularizou as instituições europeias. É essa a sua concepção de democracia? Senhor presidente, a sua concepção de democracia não é oca, é inexistente. A sua concepção de democracia é napoleônica, e nós queremos uma democracia completa. Se o senhor quer paz no Oriente Médio, tem um bom remédio: pare de vender armas. Está em uma ótima posição para fazê-lo”, afirmou Matias, aplaudida logo depois – e sob reações de susto de Macron.

A França, junto com o Reino Unido e os Estados Unidos, atacou a Síria com a justificativa de responder a um suposto ataque químico, que teria sido perpetrado pelo governo de Bashar al-Assad, na cidade de Douma, em Ghouta Oriental. Damasco nega que a ação com os agentes químicos tenha sequer ocorrido, e a Rússia diz ter “provas irrefutáveis” de que o ataque teria sido “encenação”.

Veja o vídeo:

Ataque na Síria 'não foi um ato de guerra' contra Assad, diz Macron

Trump, o homem-bomba, cria a guerra

Síria diz que ataque destruiu laboratório que pesquisava medicamentos contra câncer

 

Parlamento Europeu

Marisa Matias chamou Macron de 'pequeno Napoleão'

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irlandeses votam a favor da legalização do aborto

Maioria significativa respondeu com 'sim' em referendo sobre reforma da atual legislação do aborto na Irlanda, uma das mais restritivas da Europa; autoridades governamentais saúdam vitória da democracia em dia histórico

 

Philip Roth: um escritor aberto ao outro

Aos poucos, a geração de escritores que me formou e que foi decisiva na minha opção por estudar a literatura contemporânea vai terminando; e eu vou ficando cada vez menos contemporâneo