Após vídeo de brasileiros em Wuhan, governo anuncia que fará plano de repatriação

Comunicado do Ministério da Defesa e do Itamaraty afirma que serão trazidos todos os brasileiros que se encontram na região e que manifestem desejo de retornar ao Brasil

Após a publicação, neste domingo (2/2), de um vídeo em que um grupo de brasileiros que estão na China pedia ajuda ao governo federal para retornar ao Brasil, o Ministério da Defesa e o Itamaraty anunciaram que adotarão medidas semelhantes às seguidas por países como Alemanha, Austrália, Coreia do Sul, Estados Unidos, Espanha, Filipinas, França, Índia e Japão para trazer os cidadãos brasileros que estão na região da epidemia do coronav´írus.

Esses países já retiraram cidadãos de regiões em que há a epidemia na China ou deram início aos procedimentos necessários para fazê-lo. A França, inclusive, realizou neste domingo o segundo voo de repatriação de cidadãos do país que estavam na área.

No vídeo, o grupo afirma que está disposto a passar por quarentena após chegar ao Brasil. 

 Até a divulgação do vídeo, o presidente Jair Bolsonaro deu diversas declarações indicando que o governo não trabalhava com a possibilidade de organizar um voo de repatriação. Na tarde deste domingo, no entanto, o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério da Defesa anunciaram que o governo brasileiro adotará todas as medidas necessárias para trazer de volta ao Brasil os cidadãos brasileiros que se encontram na província de Hubei, especificamente na cidade de Wuhan, na China, região de origem da epidemia do coronavírus. 

Serão trazidos todos os brasileiros que se encontram naquela região e que manifestarem desejo de retornar ao Brasil. 

Assim que chegarem ao Brasil, eles deverão ser submetidos a quarentena, de acordo com procedimentos internacionais, sob a orientação do Ministério da Saúde.

O Ministério da Defesa, por meio da Força Aérea Brasileira, trabalha na elaboração do plano de voo da aeronave, possivelmente fretada, que será enviada à China. 

Duas brasileiras, que se encontravam em Wuhan e também possuíam nacionalidade portuguesa, já embarcaram em voo francês que transportou cidadãos da União Europeia. Elas farão quarentena em Portugal. 

Reprodução do Youtube
Em Wuhan, brasileiro fala no vídeo que pedia que o governo organizasse a repatriação

Histórico do coronavírus

Os coronavírus são conhecidos desde meados dos anos 1960 e já estiveram associados a outros episódios de alerta internacional nos últimos anos. Em 2002, uma variante gerou um surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars) que também teve início na China e atingiu mais de 8 mil pessoas. Em 2012, um novo coronavírus causou uma síndrome respiratória no Oriente Médio que foi chamada de Mers.

A atual transmissão foi identificada em 7 de janeiro. O escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China buscava respostas para casos de uma pneumonia de etiologia até então desconhecida que afetava moradores na cidade de Wuhan. No dia 11 de janeiro foi apontado um mercado de frutos do mar como o local de origem da transmissão. O espaço foi fechado pelo governo chinês.



Com informações da Agência Brasil

Comentários