Hoje na História: 1963 – Luther King brada “Eu tenho um sonho”, que hoje é privatizado e tem direitos autorais

Duas empresas têm copyrights do lendário discurso do ativista negro - na época baluarte contra segregação racial e exclusão social

28 de agosto de 1963. A histórica “Marcha sobre Washington”, liderada pelo ativista social Martin Luther King, deu força ao movimento dos direitos civis e para um projeto concreto de igualdade social nos EUA. Na época, foi a tentativa mais contundente em séculos contra as marcas da segregação racial e da exclusão social das minorias norte-americanas. No final da passeata, que reuniu mais de 250 mil manifestantes, King Jr. bradou um dos mais marcantes discursos de todos os tempos.

Leia mais:
Sem tempo para sonhar: EUA têm mais negros na prisão hoje do que escravos no século XIX

“Eu tenho um sonho que um dia essa nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado da sua crença: “Consideramos essas verdades como auto-evidentes que todos os homens são criados iguais”, disse Luther King em discurso emocionado.


Wikicommons

Luther King Jr. durante histórica marcha para Washington

O que poucos sabem, no entanto, é que as famosas palavras do líder negro não estarão sob domínio público até 2038, quando se completa 70 anos da morte de King Jr. Até lá, quem quiser usar ou reproduzir o discurso terá que pagar uma taxa à iniciativa privada. A empresa Intellectual Properties Management e a EMI Publishing, as “donas” do discurso, não divulgam qual é o valor para a reprodução. No entanto, USA Today, CBS e outros veículos importantes dos EUA já enfrentaram processos judiciais por terem colocado em cadeia nacional fragmentos do que foi dito por King Jr. em 28 de maio de1963 em Washington.

Leia mais:
Penitenciárias privadas batem recorde de lucro com política do encarceramento em massa

A revelação mais surpreendente, porém, é que a Intellectual Properties tem ligações próximas com os filhos de Luther King e que seriam estes os responsáveis “por tentar ganhar dinheiro com o discurso do pai”, denunciam especialistas em direitos autorais. “Meu pai deu tudo o que ele tinha ", afirma Martin Luther King III ." Ele não se preocupava com dinheiro. As pessoas esperam que sejamos como ele", respondeu o herdeiro, que nega veemente que membros da família estão ganhando dinheiro com o “eu tenho um sonho”.

Hoje na História: 1981 - Morre a atriz norte-americana Natalie Wood

Hoje na História: 1982 - Morre Arthur Rubinstein, um dos maiores pianistas do século passado

Hoje na História: 1986 - Socialista Mário Soares é eleito presidente de Portugal

 

O discurso de King

A Marcha por Trabalho e Liberdade, em 28 de agosto de 1963, reuniu em Washington mais de 250 mil manifestantes em frente ao monumento a Lincoln, o presidente que emancipou os escravos e cujo decreto, nas próprias palavras de Luther King, pôs fim aos tempos de cativeiro dos negros nos Estados Unidos. Mas, cem anos depois da "Proclamação de Emancipação", as leis "Jim Crow" adotadas entre 1876 e 1965 no sul do país, deram licença para a segregação, o racismo e os linchamentos dos negros americanos, criando um sistema de apartheid que buscava asfixiá-los.

(Veja abaixo, sob responsabilidade do Youtube é claro, o discurso legendado de King Jr. )



Na época, poucos acharam que o discurso contribuiu para que o presidente Lyndon B. Johnson sancionasse a Lei de Direitos Civis de 1964 que proibiu a segregação e discriminação racial. As palavras de Luther King nem foram capa do jornal "Washington Post", mas foram eternizadas pela história. Com muitas conquistas a favor, ainda no século 21 os negros encontram barreiras para a ascensão social, com altas taxas de desemprego, pobreza, encarceramento e toxicomania, e desigualdade no acesso à educação e aos serviços de saúde e habitação.

Leia mais:
Cidade dos EUA irá prender mendigos que não saírem do centro

Não surpreende que as celebrações em Washington, que começarão hoje (28) com uma cerimônia religiosa na Igreja Batista Mt. Airy, terão como fio condutor o lema "Trabalho, Justiça e Liberdade".

O primeiro presidente negro dos EUA vai discursar hoje em memória a King Jr. Ontem (27), em uma entrevista ao popular programa de rádio "Tom Joyner Morning Show", Obama reconheceu a dificuldade de repetir o impacto social que as palavras de King causaram diante de 250 mil pessoas naquele dia 28 de agosto de 1963. "Quando abordamos o discurso do doutor King na Marcha sobre Washington, estamos falando de um dos cinco maiores discursos da história dos EUA... Acho que a forma como ele captou a esperança e o sonho de toda uma geração é inigualável", declarou Obama, que pode estar às vésperas de uma nova intervenção no Oriente Médio.

(*) Com informações do Mother Jones, Wikipedia e colaboração de Maria Peña, Agência Efe

Leia Mais

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias